Roubo de cargas cai em 2018, interrompendo trajetória de crescimento – SINDICONF
UTF-8
Sistema FIRJAN

NOTÍCIAS

Roubo de cargas cai em 2018, interrompendo trajetória de crescimento



Após quatro anos consecutivos de aumento do roubo de cargas, finalmente houve queda do número de casos em 2018. Os registros caíram 13,4% em relação a 2017, aponta o Panorama do roubo de carga no estado do Rio de Janeiro, elaborado pela Firjan, com base nos dados do Instituto de Segurança Pública (ISP). Ao todo, foram 9.182 ocorrências. Se a tendência de alta tivesse sido mantida, poderia ter havido mais 4.766 casos, de acordo com a análise.

Segundo William Figueiredo, coordenador da Divisão de Estudos Econômicos do Rio de Janeiro da Firjan, a redução é fruto de uma série de medidas adotadas para combater a crise na segurança pública fluminense, iniciadas em 2017, período em que atingiu a marca de 10.599 casos. Entre elas, destaca-se a atuação integrada das forças de segurança por meio do Grupo Integrado de Enfrentamento ao Roubo de Cargas (GIERC), além da implementação do decreto da Garantia da Lei e da Ordem, em julho de 2017, sucedido pela intervenção federal em fevereiro de 2018.

Apesar do resultado positivo, os números ainda são alarmantes. Para Figueiredo, a nova gestão do governo estadual terá pela frente um difícil cenário, visto que ocorreram em média 25 casos de roubo de carga por dia em 2018, gerando um custo de R$ 580 milhões, considerando apenas o valor médio das cargas roubadas. “Nesse sentido, a Firjan reforça a importância da atuação integrada das forças de segurança estaduais e federais para continuidade da redução das ocorrências”, recomenda.

Migração das ocorrências

De acordo com o diagnóstico da Firjan, os casos de roubo de cargas passaram a ter forte presença na região Leste em 2018. O destaque negativo é o município de São Gonçalo, que em 2015 estava fora do mapa de concentração desse tipo de crime. No ano passado, três das quatro circunscrições da cidade (Alcântara, São Gonçalo e Rio do Ouro) aparecem entre as que reúnem o maior número de casos do estado, respondendo por 15,6% do total de ocorrências.

Por entender que a segurança pública representa um critério decisivo para as empresas definirem o local onde planejam investir, a Firjan tem trabalhado para reduzir a violência no Rio por meio do fortalecimento das instituições de segurança, como sinaliza o Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro 2016-2025, documento que direciona a atuação da Federação.

“A federação seguirá agindo de forma propositiva e contundente. Sua atividade ao longo de 2019 se dará por meio do Conselho Firjan de Segurança Pública, em que são debatidos de forma ampla os assuntos prioritários do tema, além de continuar participando das reuniões do GIERC, contribuindo para a redução das ocorrências de roubo de carga no estado”, afirma Figueiredo.

Fonte: Firjan

Compartilhe: